Notícia


Notícias da Internet
Fonte: G1 - Fonte:

Líder da ‘Brexit’ fala em livre comércio com a UE e provoca reações exaltadas


Farage disse que Reino Unido será 'melhor amigo da UE' após novo acordo. Merkel afirma que britânicos só terão mercado comum se aceitar princípios. O líder do Partido de Independência do Reino Unido (Ukip), Nigel Farage, afirmou em discurso no Parlamento Europeu nesta terça-feira (28) que o Reino Unido será o melhor amigo da União Europeia depois que o bloco fechar um acordo de comércio sem tarifas com os britânicos, segundo a France Presse. "Vamos firmar entre nós um sensato acordo comercial livre de tarifas e depois reconhecer que o Reino Unido será o seu melhor amigo. Seremos os seus melhores amigos no mundo", disse Farage, um dos líderes pela campanha da saída britânica da UE, sob as vaias de alguns membros do Parlamento. "Rejeitar a ideia de um acordo comercial sensato teria consequências bem piores para vocês do que para nós", acrescentou Farage. O alemão Martin Schulz, presidente do Parlamento, precisou acalmar parlamentares agitados e pedir que deixassem Farage falar, acusando-os de usar as mesmas táticas que normalmente são usadas pelo Ukip contra seus adversários. A declaração acontece no mesmo dia em que chanceler da Alemanha, Angela Merkel, alertou o Reino Unido que os britânicos não poderão escolher somente as partes da União Europeia que lhe interessam, como o mercado comum, sem aceitar princípios como a livre circulação quando negociarem sua saída do bloco. "Quem quer que deseje sair desta família não pode esperar que irá se livrar de todas as suas responsabilidades mantendo seus privilégios", acrescentou Merkel, usando um tom mais duro do que nos últimos dias. Os países que desejam ter acesso ao mercado comum devem aceitar os princípios e obrigações que isso acarreta, disse a líder alemã. "Isso se aplica ao Reino Unido, assim como a qualquer outro [país membro]", disse, acrescentando que a Noruega não é membro da UE, mas tem acesso ao mercado comum "porque, em troca, aceita a livre imigração da União Europeia, entre outras coisas".